Pesquise no Google

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

PROGRAMA ‘COMPRA PG’ VISA AUMENTAR A CIRCULAÇÃO DE RENDA NA REGIÃO

Programa busca ampliar a participação de pequenas empresas nas licitações realizadas no município, aumentando a circulação de renda e fortalecendo a economia da região

Mais de R$ 1,5 bilhão em negócios. Essa é a expectativa de movimentação financeira, no período 2013/2014, nas licitações abertas pelas cerca de 40 instituições parceiras esperadas para integrar a segunda edição do Programa ‘Compra Ponta Grossa’. A nova edição do programa foi lançada ontem, no gabinete do prefeito, onde instituições parceiras (compradoras) assinaram os termos de adesão junto ao prefeito, Marcelo Rangel, e o Gerente da Regional Centro do Sebrae, Joel Franzim Junior. O projeto é do Sebrae, e é desenvolvido em Ponta Grossa junto com a prefeitura e entidades parceiras.

O principal objetivo do programa, lembra Tônia Mansani, coordenadora de Fomento ao Empreendedorismo da Prefeitura, é estimular a participação de micro e pequenas empresas de Ponta Grossa e região em licitações públicas, para movimentar a economia local. “Não adianta o município querer comprar e as empresas não estarem aptas. A intenção é reter o dinheiro em nossa cidade, através de empresas da região”, diz. Rangel afirma que, com a oportunidade de saber das necessidades, as empresa poderão participar ativamente das licitações. “Aqui, quem ganha licitação, são empresas de Curitiba, de Londrina. Temos que tirar essa má reputação da Prefeitura”, declara.

sebrae, ponta grossa, capacitacao, empreendedor, seminario, curso, empretecO Secretário de Administração, Dino Schrutt, afirma que, por mês, são realizados cerca de 150 certames de compra apenas através da prefeitura em todas as secretarias (educação, obras, saúde, entre outros), mas afirma que, em média, de cada dez licitações promovidas pelo município, apenas uma tem a participação das MPE’s de Ponta Grossa. “A participação delas é muito aquém do que poderiam. Falta informação e qualificação”, afirma.

O Programa foi iniciado no ano passado, mas será expandido neste ano. Nádia Joboji, consultora do Sebrae, lembra que, em 2013, 11 entidades compradoras participaram do programa, e que elas movimentaram cerca de R$ 800 milhões em 2012 e 2013. Ela diz que das mais de 400 micro e pequenas empresas do município que estavam capacitadas para atender os requisitos, apenas 30 realmente forneceram. “O potencial de compra das 11 entidades foi de R$ 800 milhões. Mas nesse ano, entre 2013 e 2014, acredito que dobre, com entidades como Sanepar, universidade, e hospitais, inclusive privados”.

Fonte: JM